FAZER O BEM É BOM e eu não vou desistir

desistir-corpo-texto

Opa pessoal.

Conhecer o Matheus foi o maior presente que eu poderia receber de Deus. Meu heroizinho me mostrou novos horizontes, me fez ver a vida de formas que eu nunca tinha conseguido enxergar.

Esse guerreirinho de apenas 7 anos, com sua força que se mistura a uma doçura única, me possibilitou através das suas atitudes, ter a percepção do que realmente é ser: UM SER HUMANO.

Matheus me ensinou a importância de perseverar, de resignar, de acreditar, de ter fé, esse “rapazinho” mostrou o real valor de uma amizade, ele mudou minha vida.

Então cheguei a conclusão que algo tão especial precisava ser compartilhado, homenageado e foi ai que surgiu a ideia de fazer o site Fazer o Bem é Bom. Essa foi a forma que achei de espalhar a sabedoria do Matheus, uma tentativa de levar ao máximo de pessoas a alegria que esse jovenzinho plantou em meu coração.

E foi ai que me deparei com o nosso atual SER HUMANO. Foi uma porrada confesso.

Nós literalmente nos digladiamos pelo nosso time. Movemos mundos e fundos para ver nossa equipe bem. Nos organizamos, planejamos estratégias para elevarmos ao lugar mais auto o nosso amado clube de futebol.

Mas somos incapazes de ajudar a jovem Gaby, garotinha que precisa com urgência de um transplante de intestino.

NÚ!!! Como nos entregamos de corpo e alma para defender nossas posições políticas. Amigos se tornaram inimigos, os motivos? Divergências ideológicas.

Mas… Não temos a mesma disposição e energia para exigir do estado um tratamento digno para o garoto Riquelmy.

Já pensou se os machistas e as feministas esquecessem e colocassem um ponto final em suas diferenças, porque isso é muito fácil, é só um grupo respeitar os direitos do outro e dessem as mãos em prol da causa da Clarinha? Tenho certeza que ela ja tinha feito a sua cirurgia.

Tem vários outros exemplos que eu poderia descrever aqui, mas o que quero falar é que cheguei a desanimar, pensei em entregar os pontos.

É triste perceber que os problemas, as dificuldades e enfermidades do nosso próximo, são praticamente invisíveis para as pessoas, não as culpo, nossa sociedade a muito vem sendo moldada para valorizar o que é fútil, nossos jovens não pensam, não trocam experiências reais, eles estão por aí, caçando pokemons. estamos praticamente cegos e isso nos impossibilita de entender e ver o que é verdadeiramente importante para nossas vidas, o que faz valer a pena a nossa existência.

A caridade, o amor ao nosso irmão, estender a mão aos necessitados, dar alimento aos famintos, cuidar de nossas crianças, dar assistência aos enfermos, fazer o bem.

Confesso, cheguei a pensar em desistir do projeto Fazer o Bem é Bom. É muito difícil motivar o ser humano a ser bom. Porque sem “bom”, envolve pensar primeiro no bem estar comum e depois em si mesmo, e infelizmente somos egoístas demais para entendermos a nobreza dessa atitude.

Me senti derrotado, frustrado. Mas novamente veio o Matheus e seus ensinamentos. Perseverar, não desistir, acreditar, confiar, ter fé.

Eu acredito em você que está lendo esse texto, eu tenho fé que você é bom, caridoso e sei que uma hora ou outra você vai entender que ajudar ao próximo e uma via de mão dupla. O bem que você faz retorna e vai ser quando você mais precisar.

Lembrem-se FAZER O BEM É BOM

Abraços

Comentários

Comentários

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta