Lucas Amorim – Juntos até a vitória e ainda depois!

aa78a2_128e1ad469bd4b0bab02af7fe5285859Em 2010 foi diagnosticado com SAMS (Síndrome da Artéria Mesentérica Superior). Após complicações de um pós cirurgico, 90% do seu intestino delgado e 50% do intestino grosso foram necrosados e foi necessário  retira-los. O resultado da segunda cirurgia restou cerca de 20cm de intestino delgado, que de acordo com os especialistas caracteriza a Síndrome do Intestino Curto.

A vida do Lucas depende de um transplante, a ser realizado no exterior. A família depende da sua ajuda para custear as despesas. Faça sua doação!

Entenda o Caso

Como Lucas Amorim adquiriu a Síndrome do Intestino Curto (SIC). Acompanhe na linha do tempo:

Março/1992- Três dias após o nascimento começam os episódios de vômitos, desde então, são várias idas ao médico;

Abril/1992- após uma investigação mais sistemática um diagnóstico simples “refluxo”;

Maio/2010- Repentinamente reaparecem os vômitos que duram 21 dias. Finalmente, um determinado médico chegou a um diagnóstico, Lucas seria portador de uma síndrome muito rara denominada Síndrome da Artéria Mesentérica Superior. Resumidamente, essa síndrome seria uma má formação numa artéria que provoca uma obstrução e impede a passagem do alimento.

O tratamento? uma cirurgia, relativamente simples;

Junho/2010- Tudo marcado pra cirurgia e de repente, os vômitos cessaram. Cirurgia cancelada. A recomendação médica era que se reaparecessem os vômitos, imediatamente a cirurgia seria realizada;

Agosto de 2012- Novas crises de vômito. Lucas foi levado ao centro cirúrgico, foi explicado que estava tudo bem mas, a má formação encontrada na cirurgia era diferente do que os exames haviam apresentado e mais complicada. Foi preciso retirar uma pequena parte do intestino delgado. Lucas passou a ter dores fortes, inquieto e vômitos. Foi novamente conduzido ao centro cirúrgico. Foi constatado que 90% do intestino delgado e 50% do intestino grosso estavam necrosados e seria necessário retira-los. Resultado da segunda cirurgia restou cerca de 20cm de intestino delgado, que de acordo com os especialistas caracteriza a Síndrome do Intestino Curto. O que ela traz como consequência: o portador não consegue se alimentar normalmente, ou seja, os alimentos que são ingeridos não são absorvidos pelo intestino delgado.

Para sobreviver ele se alimenta com uma alimentação especial, chamada de Nutrição Parenteral, que é administrada através de cateter.

A Síndrome tem cura. A solução definitiva para o caso do Lucas seria o transplante de intestino de delgado;

Setembro de 2012 – Deslocamento para São Paulo, Lucas seria acompanhado, pela equipe do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da USP. Chegando no Hospital foi confirmada a necessidade do transplante. De imediato foi informado que Hospital estava preparado para realizar o procedimento, ainda inédito no país. Seria necessário se instalar na cidade de São Paulo, e que sua mãe seria treinada pra cuidar dele em casa, enquanto aguardava o transplante;

Outubro de 2012 – Comunicado que a UTI do hospital não atendia as exigências mínimas para que o pós transplante ocorresse com segurança, e que seria construída uma UTI. A partir de então, Lucas teria acompanhamento médico ambulatorial semanal, exames, curativos de cateter. Diariamente 18 horas conectado a uma bomba de infusão recebendo nutrição parenteral, soros e outros medicamentos necessários à sua sobrevivência

Novembro 2013 – Lucas foi internado pra avaliação, principalmente do fígado, pois uma das mais graves complicações do uso prolongado da parenteral e a doença hepática. Feita a biopsia, constatou que o fígado de Lucas já estava bem comprometido, que a medida imediata seria lista-lo para o transplante, pois caso a doença hepática avançasse seria necessário transplantar o fígado também;

Fevereiro a julho de 2014 – por quatro vezes, foi convocados pelo hospital, pois tinha uma oferta de órgão, mas nas quatro vezes, fomos dispensados, com a informação de que órgão não estava em condições de realizar o transplante com segurança;

Setembro de 2015 – Informados que o Hospital iria redefinir as normas de funcionamento do programa de transplante, teria novas discussões com Ministério da Saúde, e que por um certo período, a lista de pacientes que já aguardavam transplante, ficaria inativa. Foi um momento difícil e de muita, muita angústia. Nesse momento, a família decidiu buscar outros centros que pudesse realizar o procedimento com segurança.

Aqui é necessário um parêntese, enquanto se aguardava o transplante do Lucas acontecer em São Paulo, vários casos parecidos, foram sendo descobertos no Brasil, casos de grande repercussão na mídia. Alguns desses pacientes, não aceitaram o tratamento brasileiro e optaram por acionar o Governo Brasileiro, através da justiça, para que fossem tratados fora do Brasil, com um médico brasileiro de renome no mundo acadêmico internacional;

E alguns tiveram êxito nessa demanda judicial, e foram enviados para fora do país.

Outubro de 2015 – Esgotadas as esperanças do transplante do Lucas acontecer no Brasil, foi ingressado uma ação na justiça, para que o Lucas vá para Miami, onde o médico brasileiro Dr Rodrigo Viana, faz há anos transplantes de intestino e multivisceral com bastante sucesso.

Outro parêntese, em nenhum momento há o interesse de desqualificar a equipe de médicos do Hospital das Clinicas, são profissionais de alta competência, o transplante não ocorreu, por motivos alheios à vontade deles, extrapolou a capacidade deles de superar tantos obstáculos.

Março de 2016 – O Juiz Federal decidiu a favor de Lucas, para que o Governo Brasileiro o envie para realizar transplante fora do Brasil. Sabe-se que não é o fim, pois existe a grande possibilidade, da União recorrer da decisão, pois é um procedimento de custo altíssimo, cerca de um milhão e meio de dólares.

Mas seguimos firmes e confiantes.

O Judiciário decidindo pela ida do Lucas para a realização do transplante no exterior, a família necessita arrecadar verbas para realizar seu deslocamento e a hospedagem no novo país.

aa78a2_ad4daa1a37a64c2b866333655ba4942b

Ag. 5602-2 C.Corrente 44.669-6
Lucas Lima Cortez Amorim

aa78a2_5074bcd89b9645a2a9c0edf9226243be

 

 

Ag. 2004 C.Poupança 18407-0
Tomaz Filho Amorim Sá

Comentários

Comentários

Compartilhe

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta