Eternas saudades

[fancygallery id=”4″ album=”5″]

Alicinha, Francine, Guilherme, João Pedro, Lavínia, Marina, Mel, Miguel, Pedrinho, Rayllan e Tom.

Foi negado a esses anjinhos a possibilidade de lutarem por um destino diferente e olha, pessoas muito especiais estiveram sempre ao lado deles, suas mães. Elas foram guerreiras, buscaram de todas as formas a cura para os filhos, mas alcançar o êxito… Era algo que não dependia somente dos esforços delas.

Elas tinham pela frente todo um sistema que está preparado, moldado e montado para impossibilitar a cura dos pequenos. E o sistema é foda.

Esses anjos foram vítimas da negligência de um judiciário que está pronto, obstinado e adestrado a negar um direito, que por sinal, lhes é garantido pela constituição brasileira:

“Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução dos riscos de doença e de outros agravos e o acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”. 

Tal preceito é complementado pela lei 8.080/90, em seu artigo 2º:

“A saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício”.

Bastava uma canetada e pronto… Esses anjos teriam as suas chances, poderiam lutar dignamente pela vida. Mas infelizmente esse objeto utilizado para escrever que funciona a base de tinta, em alguns dias específicos funciona com gelo.

Aqui na terra os anjos foram calados, mas com certeza, jamais serão esquecidos. Esses pequeninos vão ser lembrados por toda a eternidade e por vocês vamos acabar com esse sistema viciado, que pouco liga para a vida humana.

Não se acomodem, saiam da inércia, vocês também são culpada. Cobrem, usem as suas redes sociais como instrumentos voltados para o bem, espalhem as histórias desses anjinhos. O envolvimento de vocês nessa causa é fundamental para a conquista do sucesso. Façam a diferença

Lembrem-se. No final é entre vocês e Deus e o que vocês vão ter para contar?

Fazer o bem é bom.

Comentários

Comentários

Compartilhe

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta